quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Esporte, política e o espetáculo dos protestos.



Os esportes já são utilizados como propaganda política há tempos. A Copa da Argentina de futebol, por exemplo, em 1978, teve diversas críticas sobre a manipulação de resultados e regras para favorecer a seleção nacional e apoiar a propaganda da ditadura militar na época.


Engraçada a coincidência de que em 2014 teremos Copa do Mundo e eleições presidenciais: imaginem a propaganda embalada em "verde e amarelo" para o candidato (a) da situação recebendo a seleção canarinho vitoriosa em casa? Bela propaganda, não é?


Na Ucrânia, num protesto da organização chamada Femen, que faz manifestações usando mulheres com seios à mostra para chamar a atenção para suas causas, uniu espetáculo, política e esporte. Desta vez a ação de protesto foi em frente à sede da Federação Internacional de Hóquei no Gelo, na Suíça. Seminuas, as manifestantes carregavam cartazes contra o regime ditatorial de Alexander Lukashenko, da Bielo-Rússia, no poder desde 1994 e que costuma perseguir e encarcerar seus opositores.


Aproveitaram o evento para também questionar a Federação Internacional de Hóquei sobre fazer um campeonato internacional num país controlado por uma ditadura. Causa difícil, mas iniciativa e mobilização necessária. Direitos Humanos devem ser utilizados com arma ideológica e de ação política na minha opinião. Não importa aonde. De qualquer forma, se vai fazer efeito ou não, é assim que podemos saber mais sobre a distante Bielo-Rússia e seu regime opressor.