sábado, 20 de abril de 2013

Liberdade de opinião, de imprensa e de expressão.

Os tiranos adoram o pensamento único. As palavras de ordem. A uniformidade. Alguns impõe livros e modelos de pensamento: o livro vermelho de Mao Tsé Tung, o livro verde do Coronel Kadafi. Outros, fazem espetáculos para as massas a fim de enaltecer e embrigar opiniões contrárias na efêmera nebulosidade do espetáculo. Mas eles sempre perdem, pois ainda não inventaram a censura para o livre pensar.

Como o dia 3 de maio está chegando, já deixo aqui meu tradicional recado em nome da liberdade de imprensa: não gostou do que viu ou leu, mude de veículo, troque o canal, escreva a sua versão ou simplesmente ignore. Mas nunca tente proibir ou censurar, ainda mais se você for um "poderoso" de plantão.


sábado, 13 de abril de 2013

Arte x Opressão.

O artista é um iluminado que canaliza sentimentos e intuições oprimidas pelo cotidiano, de forma a nos deslocar do lugar comum e do automatismo de nossas rotinas (ou retinas). Através das expressões artísticas, o cidadão vítima da burocracia do Estado, das circunstâncias sociais e da soberba dos poderosos pode se (re) conhecer como um ser-humano único e original. Pode enxergar a realidade através de outras lentes e assim questionar toda sorte de injustiças e mazelas que aparentemente são naturais, mas que na verdade são resultados de processos históricos, políticos e econômicos - que na maioria das vezes muitos de nós sequer compreendemos.


Na China, economicamente pujante dos dias de hoje, admirada como "cliente", que hipnotiza empresas e governos do mundo ávidos para participar do seu crescimento sem se importar se o partido único que controla os chineses, carrega na esteira das benesses do consumo e da industrialização acelerada, questões como o totalitarismo político, a censura e a opressão bem como a poluição desenfreada, é a arte de alguns corajosos que nos faz refletir. Neste cenário,  Liu Xiabo e Ai Weiwei são dois exemplos de resistência crítica e expressão. Os dois são perseguidos, presos, e monitorados pelo policialesco aparato do governo chinês.


Arte é uma forma de comunicar além das aparências. Comunicar o grito de nossas entranhas por mais liberdade, atenção aos interditos e por um olhar mais próximo daquilo que nos torna humanos: solidariedade, cuidado com o outro e amor.