sábado, 26 de março de 2011

O senhor da guerra: um pai de família.


Obama visitou o Brasil trazendo toda a sua família. Pai dedicado, ama suas filhas e sua esposa. Trouxe na bagagem uma mensagem de amizade, cooperação, bons negócios. Falou de futebol, de Paulo Coelho. Visitou o Cristo Redentor e a Cidade de Deus para ver criancinha jogando capoeira. O mesmo Obama, fraternal, que viaja com a família toda, ordenou, daqui mesmo dos trópicos calorentos, a ordem de ataque à Líbia.

Enquanto os mísseis Tomahawk (quanto custa mesmo cada um deles? Uns US$ 500 mil a unidade?) despencavam dos céus sobre as forças leais ao ditador líbio, nosso ilustre convidado discursava no Teatro Municipal sob forte esquema de segurança. Até o Secretário de Segurança do Rio parece ter sido revistado "aos costumes" pelos agentes norte-americanos.

No caso da Líbia, assim como do Iraque do já esquecido Saddam, ou do Panamá do caricato Noriega (lembram dele?), tudo me parece uma enorme hipocrisia política: o amigo de ontem, virou o inimigo de hoje e agora custa uma boa grana tirá-lo do poder. Mas é assim que o cassino da economia moderna enriquece a banca.

Resumo da farsa:os mais fortes vão garantir - na marra, seus barris de petróleo para movimentar suas forças armadas, enquanto visitam seus "vizinhos amigos". Até quando os senhores da guerra vão faturar alto com suas bombas, enquanto tomam sorvete de pistache com suas filhas queridas? Até quando a platéia abobalhada vai aplaudir o circo montado, pagando a conta do espetáculo?
Esta na hora de falarmos sobre Direitos Humanos com menos ilusão de ótica. Os lobos vestidos de cordeiros defenderão povos amigos sempre que o interesse econômico justificar a renovação dos arsenais de bombas.


Que Deus nos proteja desses bons pais de família.
PS: Vocês já viram o filme "Um Homem Bom"? Vale a pena:http://www.imagemfilmes.com.br/imagemfilmes/principal/filme.aspx?filme=103716

quarta-feira, 2 de março de 2011

Golpe de Estado, circo e apatia.

No Brasil temos Carnaval, temos brahmeiros, temos cervejão. Temos Ronaldinho Gaúcho sem freio e temos BBB com milhões de votos para eliminar ilustres desconhecidos. Aqui temos também tapinha nas costas, jeitinho, Presidente fazendo omelete na televisão. Maravilha, este nosso paraíso.

Na Líbia, na Tunísia, no Egito e no Iêmen não temos nada disso. Mas, como uma "tempestade no deserto" temos povo na rua. Protesto, manifestação, ação. Nunca foi tão fácil derubar a tirania, não é mesmo? Parece coisa de Brecht: "Se dois bois conversassem, não iriam tão fácil para o matadouro".

Hoje, lemos nos jornais que nossas Excelências políticas como Paulo Maluf e Newton Cardoso, além de Eduardo Azeredo e Valdemar Costa Neto vão capitanear a "reforma política" através de uma comissão da nova lei eleitoral. Para mim isso tem um nome: Golpe de Estado. Sei que estes Ilustríssimos Senhores foram votados (assim como o palhaço Tiririca) mas convenhamos, colocaram as raposas para tomar conta do galinheiro. Mas quem "colocaram"? Nós mesmos, cidadãos adormecidos, apáticos, tolos. Já tínhamos o imortal Sarney controlando o Senado e agora teremos ex-mensaleiros e gente acusada de desvio de verbas e enriquecimento ilícito, entre outros crimes. Muitos dirão que os inquéritos ainda não foram concluídos, nem sentenças estabelecidas. Eu mesmo estou escolhendo bem as palavras para não levar um processo. Afinal, esses homens estão no Poder! E é assim que o país do jeitinho funciona, enrolando o cidadão comum, como serpentina carnavalesca a enroscar o pescoço do folião desavisado.

O circo (dos horrores) tomou o poder no Brasil. A apatia esta no ar, mas os blocos estão saindo para as ruas. É Carnaval. Deveria ser Revolução, mas é apenas samba, suor e ouriço. O barco esta correndo frouxo, na casa da mãe Joana e quem se importa? O Pré-Sal vai resolver a vida de todo mundo, assim como a Copa e as Olimpíadas. Com estádios superfaturados, espetáculo pirotécnico, distribuição de medalhas e coberta festiva. E claro, fotos de políticos sorridentes com crianças de algum projeto social.

Aqui, no laboratório antropológico do Brasil, estamos na panela, sendo cozinhados como sapos. A temperatura aumenta, mas ninguém (quer) perceber. Se tiver cerveja e mulher pelada, tudo bem. Tudo bom.

Queria que este Carnaval fosse "das Arábias". Bem diferente: com um desfile de patifes fugindo do país, mas com suas contas bancárias congeladas. Quem sabe um dia?

Leiam mais em O Globo - 02.03.2011:
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/03/01/reus-deputados-investigados-sao-escalados-para-comissao-de-reforma-politica-na-camara-923909602.asp

O Dia - 02.03.2011:
http://odia.terra.com.br/portal/home/fixos/pdf/11/03/02032011.pdf

Estado de São Paulo - 25.02.2011:
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,educadores-lamentam-escolha-de-tiririca-para-comissao-na-camara-,684701,0.htm

Folha - 02.03.2011:
http://www1.folha.uol.com.br/poder/883170-comissao-da-reforma-politica-na-camara-reune-maluf-e-mensaleiro.shtml